NOTÍCIAS

09.03.2010
Tipos de Pés e sua influência no Sistema Musculoesquelético

Responsável pela edição:

Rodrigo Arend - Fisioterapeuta - Fisioterapeuta - CREFITO 5 - 119.227/F

 

 

          O pé é um elemento importante para a estrutura corporal, principalmente para o sistema postural. A planta do pé é rica em receptores cutâneos, exteroceptivos e proprioceptivos, que os torna um captor ou adaptador podal. Alterações podais podem ser responsáveis por causar desequilíbrios posturais, assim como também os pés se ajustam aos desequilíbrios vindos de estruturas suprajacentes a eles, sendo eles então a vítima. Por serem o suporte final do sistema postural, os pés precisam se adaptar às irregularidades vindas do próprio corpo e do meio externo. As principais alterações são o pé plano e o pé cavo (BRICOTT, 2001).


          Os pés infantis apresentam características peculiares comparados com os pés dos adultos, em relação à dimensão e às estruturas de formação. Sabe-se que as crianças têm aproximadamente 1/3 dos picos de pressão plantar encontrados em adultos, exceto pela região do mediopé, onde os picos são da mesma ordem e magnitude. Essa caracterização ocorre principalmente porque ao contrário do pé adulto, o pé infantil ainda se encontra em desenvolvimento, além de ser composto por tecido musculoesquelético diferenciado (KRETZER, 2007).


          Durante a primeira infância, a presença de um pé plano é extremamente freqüente e considerada uma condição fisiológica normal. Nesta fase o arco longitudinal medial ainda se encontra em formação e alguns fatores são determinantes para esta condição, como por exemplo, o processo de ossificação de alguns ossos do metatarso e o desenvolvimento dos músculos e ligamentos dos pés (ARRUDA, 2006).


          As diferentes formas de pé plano estão caracterizadas por um apagamento do arco plantar. O arco plantar só se constitui realmente em torno dos 2 a 3 anos e, ainda que se constate frequentemente  um apagamento das arcadas, é prematuro falar em pé plano verdadeiro antes dos 9 ou 10 anos de idade (JORDÃO e BERTOLINI, 1997).


          A Fisioterapia é importante na identificação das alterações posturais e do tipo do pé, além de ser capaz de orientar adequadamente as crianças e os cuidadores quando for necessária uma avaliação mais aprofundada. Programas de exercícios preventivos têm se mostrado eficientes com crianças, principalmente quando utilizam o lado lúdico. Quanto mais cedo for identificada alguma alteração postural ou do tipo do pé da criança, melhor o prognóstico, uma vez que as mesmas ainda se encontram em desenvolvimento.  


REFERÊNCIAS: 

  • ARRUDA, M. F. Caracterização do excesso  de peso  na infância e sua influência sobre o sistema musculoesquelético de escolares em Araraquara – SP. 2006
  • BRICOT, B. Posturologia. 2ª ed. São Paulo: Ícone, 2001
  • KRETZER, J. Caracterização biomecânica de crianças com pés planos flexíveis e os efeitos de um programa terapêutico profilático. Florianópolis, 2007.
  • JORDÃO, M. T. e BERTOLINI, S. M. Incidência de pé plano em crianças na faixa etária de 7 a 9 anos da rede escolar Maringá. Revista Unimar 19 (2): 639-647, 1997.

 

Voltar para notícias