NOTÍCIAS

14.12.2009
Neurociências e a Abordagem Fisioterapêutica

Responsável pela edição:

Luciano Hoefling S.

Fisioterapeuta CREFITO 5 – 121.414/F

Gerente FisioWork-RS

 

          O conhecimento de como o movimento é gerado e controlado é essencial a todos os que lidam com a performance motora humana seja em nível da execução, do aperfeiçoamento e/ou da recuperação do movimento humano. O crescente avanço do corpo de conhecimentos das ciências básicas como aquelas que envolvem o sistema nervoso e seu papel no controle e no descontrole motor, as diversas teorias que tentam explicar a natureza do movimento, assim como, os aspectos pouco elucidados neste campo do conhecimento formam um referencial teórico para o aprofundamento do conhecimento no campo do controle motor e postural.

 

          A reabilitação efetiva deve levar em consideração o conhecimento atual sobre o sistema nervoso participa do comportamento normal e também do anormal. Sabe-se que no campo da reabilitação, possivelmente o cérebro encontra diferentes vias para uma reorganização, de¬pendendo da área lesionada e das abordagens tera¬pêuticas utilizadas.


 
          O objetivo do fisioterapeuta é melhorar o movimento por meio da avaliação, prevenção e tratamento de distúrbios do comportamento motor. Os fisioterapeutas atingem esse objetivo solucionando problemas clínicos que dependem do seu conhecimento das ciências básicas como a neuroanatomia e neurofisiologia. Eles utilizam a adaptação neural e o aprendizado para otimizar o potencial motor existente, desmascarar funções residuais e facilitar a recuperação em decorrência da neuroplasticidade. Quanto melhor compreenderem a relação entre as neurociências básicas e a função ou disfunção motora, melhor estarão preparados para atingir seus objetivos terapêuticos.

 


REFERÊNCIAS:

  • COHEN, H. Neurociências para Fisioterapeutas. 2002
  • BARATO et. al. Cortical plasticity and neurological physical therapy techniques in neuroimage optic. 2008
     
Voltar para notícias