NOTÍCIAS

03.10.2016
LESÕES DOS ISQUIOTIBIAIS EM ESPORTISTAS

FISIOTERAPIA SIM! PRP (PLASMA RICO EM PLAQUETAS) NÃO!! REMÉDIOS ANTIINFLAMATÓRIOS NÃO!!!!! 

REVISÃO SITEMÁTICA COM META-ANÁLISE

Pas HI, Reurink G, Tol JL, Weir A, Winters M, Moen MH. Efficacy of
rehabilitation (lengthening) exercises, platelet-rich plasma injections, and other conservative interventions in acute hamstring injuries: an updated systematic review and meta-analysis. Br J Sports Med. 2015 Sep;49(18):1197-205.

Recente revisão sistemática com meta-analise realizada por pesquisadores Holandeses reuniram 10 RCT (estudos clinicos prospectivos randomizados) reunindo um N =526 participantes. Os participantes tinham entre 20-32 anos, em sua maioria homens (86%) oriundos de vários esportes diferentes. Dois pesquisadores utilizaram a escala de avaliação de Bias metodologico Double & Black que possui um escore total adaptado de 28 pontos sendo a pontuação média dos 10 estudos de 16 pontos tendo a seguinte classificação : Excellent (26–28); good (20–25); fair (15–19) and poor (≤14). dos 10 estudos em 5 foram possíveis a realização de meta-analises.

O estudo dividiu as intervenções de tratamento que foram comparadas ou com grupo controle ou a outras intervenções. Segue abaixo o resumo dos resultados encontrados DA EFETIVIDADE em duas categorias PRINCIPAIS. TEMPO DE RETORNO AO ESPORTE E RECIDIVAS DE LESÕES. VAMOS AOS RESULTADOS:

1 - EXERCÍCIOS EXCÊNTRICOS: 
Meta-analise agrupou dois estudos no qual adicionou os exercícios excêntricos ao protocolo de reabilitação que incluía (core + alongamentos + fortalecimento geral) e foi comparado com um grupo utilizando somente o protocolo convencional. Os resultados demonstraram que o grupo EXCÊNTRICO foi superior ao grupo convencional no TEMPO DE RETORNO AO ESPORTE MAIS RAPIDO (em dias) HR of 3.22 ((95% CI 2.17 to 4.77), Z=5.83, p<0.0001). NO ENTANTO não houve diferenças significativas em adicionar o treino excêntrico na prevenção de novas lesões (recidivas no futuro) ((RR)=0.25, 95% CI 0.03 to 2.20, Z=1.25, p=0.21) (figure 3). No statistical heterogeneity was present (I2=0%).

2- PRP (PLASMA RICO EM PLAQUETAS):
Meta-analise agrupou 3 estudos RCT no qual comparou PRP com grupo utilizando reabilitação tradicional. A dose(quantidade) em todos os estudos foi de 3 mL((Biomet, mean 1297×103 platelets/μL, mean 38.3×103 leucocytes/μL). Os resultados demonstraram não haver benefícios na adição do PRP a tratamentos fisioterapêutico no retorno ao esporte ou no prevenção de novas lesões.

3- TREINAMENTO DE AGILIDADE E CORE TRAINING (PATS)
Dois estudos avaliaram protocolo utilizando estas duas modalidades de reabilitação. Sherry & Best JOSPT 2004, compararam estas modalidades dando a sigla de PATS com um protocolo de fortalecimento e alongamento sigla STST. O TEMPO DE RETORNO AO ESPORTE FOI de (22.2 dias SD 8.3) no PATS comparado com (37.4 dias SD 27.6) do STST porém não houve diferença estatisticamente significativa. no entanto O INDICE DE RE-LESÕES foi menor p<0.001 no grupo PATS (0/13 re-lesoes com 16 dias após retorno ao esporte e 1/13 com 1 ano pós lesão, vs 6/10 e 7/10, respectivamente no grupo STST. Outro trabalho comparou o PATS com corrida progressiva e treinamento excêntrico porem não houve diferença nos dois desfechos entre os grupos.

4- ALONGAMENTOS
Um estudo com qualidade pobre Malliaropoulos N et al. Med Sci Sports Exerc 2004;36:756–9. demonstrou superioridade em alongamentos de alta intensidade (4x ao dia) comparado com baixa intensidade (1x ao dia) em relação a retorno ao esporte (media de 13.27 dias (SD 0.71) alta intensidade comparado com 15.05 (SD 0.81) dias no grupo baixa intensidade (p<0.001)).

5- MANIPULAÇÃO SACROILíACA
Nenhum resultado demonstrando efeitos no retorno ao esporte ou índice de re-lesões. O artigo comenta apenas desfechos em relacão a avaliações de desempenho muscular do quadríceps ou extensão passiva do joelho, onde não houve efeitos positivos.

6-REMÉDIOS ANTIINFLAMÁTORIOS 
UM ESTUDO avaliou diclofenaco x 50 mg meclofenamate x placebo durante 7 dias e não houve diferenças em dor, torque do quadríceps e edema intramuscular entre os grupos. No entanto os dois grupos de remedios apresentaram efeitos colaterais maiores do que o grupo placebo.

CONCLUSÕES :

AS EVIDÊNCIAS DISPONÍVEIS ATÉ O MOMENTO DEMONSTRAM QUE CORE TRAINING E TREINO DE AGILIDADE SÃO EFETIVOS NA PREVENÇÃO DE NOVAS LESÕES, MAS NÃO ACELERAM RETORNO AO ESPORTE. TREINAMENTO EXCÊNTRICO DIMINUEM TEMPO DE RETORNO AO ESPORTE MAS NÃO PREVINEM NOVAS LESÕES. PORTANTO O FISIOTERAPEUTA DEVE UTILIZAR AMBOS. REMÉDIO ANTIINFLAMATORIO E PRP A RECOMENDAÇÃO DO ESTUDO FOI DE NÃO USAR!
(RODRIGO VASCONCELOS)

Via: Evidência Nível 1 Que Fisioterapia Funciona

Voltar para notícias