NOTÍCIAS

10.02.2014
LESÕES NO JOELHO: SAIBA COMO TRATAR A LESÃO SEM CIRURGIA

Uma lesão no joelho nunca é bem-vinda, principalmente para quem é atleta. O joelho é uma das articulações que mais sofre contusões durante atividades físicas esportivas. Isso porque ele suporta uma boa parte do corpo, o que o torna mais vulnerável ao trauma direto (pancadas) ou indireto (entorse), sem contar o excesso de uso ou uso inadequado dos tecidos condrais e tendíneos que são as mais acometidas.

 

Sinais de uma lesão

Geralmente, as pessoas só dão conta que estão com o joelho lesionado por causa dos incômodos. A limitação dos movimentos, dor na interlinha medial ou lateral do joelho estão entre os sintomas. As mulheres que jogam futebol, vôlei, ou qualquer outro esporte de risco têm mais chances de sofrer lesões especificamente no ligamento cruzado anterior. Isso acontece devido aos fatores biomecânicos e anatômicos. Quem não trata a lesão no joelho pode apresentar movimentos limitados, o que pode prejudicar e até inferir no futuro do atleta, já que ele corre o risco de não conseguir competir novamente.

Uma das alternativas para tratar uma lesão é a fisioterapia, algumas técnicas cientificamente comprovadas são aplicadas em pacientes diagnosticados com artrose, tendinites, tendinopatias, condromalácea patelar, lesões de menisco, entre outros.

A fisioterapia encabeça o tratamento na maioria dos casos de lesões no joelho. Uma das vantagens de tratar uma lesão de joelho com as técnicas desenvolvidas pelo profissional fisioterapeuta é que não há necessidade do paciente passar por uma cirurgia. E aos poucos, ele pode ir recuperando o seus movimentos, força e equilíbrio.

O tratamento é baseado em manobras que aliviam a dor, fortalecimento muscular, melhora do equilíbrio e propriocepção, proporcionando melhor condição muscular. Entre as técnicas, podemos destacar: eletrotermofototerapia, terapia manual e estabilização segmentar e fortalecimento, equilíbrio e correção biomecânica.

A eletrotermofototerapia consiste em recursos como laser de baixa intensidade e terapia combinada, com a intenção de aliviar a dor e diminuir a inflamação no joelho. Já a terapia manual é feita com a pressão isquêmica e mobilização articular para melhorar o movimento e amenizar os espasmos musculares protetores. Além disso, o fisioterapeuta passa uma série de exercícios para o paciente que envolve o fortalecimento dos músculos específicos de estabilização. Por fim, são feitos exercícios para controlar a postura e o movimento com glúteo máximo, médio, piriforme, gêmeos e obturadores.
Portanto, se você sofreu uma lesão e teme passar por cirurgias, fique tranquilo. Procure um fisioterapeuta para fazer uma avaliação e iniciar logo um tratamento.

 

Fonte – Prof. Dr. Thiago Fukuda, fisioterapeuta da Santa Casa de São Paulo, especialista no grupo joelho, quadril e esporte.

 

Voltar para notícias